Cai velocidade de julgamentos da Lava Jato no Paraná desde saída de Sergio Moro




 

BRASIL

SIGA O INSTAGRAM DO JEQUIÉ URGENTE>> https://www.instagram.com/jequie_urgente/?hl=pt-br




Desde que o ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro assumiu o cargo no governo Bolsonaro, e deixou de ser o juiz da operação Lava Jato, o ritmo dos julgamentos da operação mudou.

Conforme relatos de advogados ao portal Uol, a diferença de perfil do novo titular da 13ª Vara de Curitiba, Luiz Antonio Bonat, e também a necessidade natural de se inteirar totalmente sobre os processos em andamento desaceleraram decisões da operação.

Eles ainda afirmaram que o fato tem sido motivo de comemoração para as defesas dos réus, já que com mais tempo, os acusados seguem em liberdade e existe a possibilidade de prepararem melhor seus argumentos.

A reportagem do Uol destaca que desde que Luiz Antonio Bonat assumiu a operação, ele julgou apenas um processo. Condenou nove réus denunciados em junho de 2018 pelo MPF-PR. Enquanto Moro esteve a frente da operação, de 2014 a novembro de 2018, 45 ações penais da operação foram julgadas no Paraná. Em média, elas levaram um pouco mais de 11 meses e meio desde que a denúncia do MPF (Ministério Público Federal) fosse aceita pela Justiça até que uma condenação ou absolvição fosse definida na 1ª instância.



Comentários no Facebook:

Comentários

Categoria: Brasil